segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

Feliz Natal!


Caso não volte a passar por aqui, quero desejar a todos um óptimo Natal, com o coração cheio de alegria e paz, muita saúde e junto dos que mais amam!

terça-feira, 9 de dezembro de 2014

As andanças da quadra


Uma das coisas de que tenho mais pena, nesta quadra natalícia, é de não poder aproveitar as actividades de Natal aqui em Londres e arredores. São os mercados de rua, com artesanato original, bebidas quentinhas e muita diversão, são os concertos de natal com grupos que cantam as músicas tradicionais nas igrejas (Carol singers), as pistas de gelo e sobretudo os castelos e casas senhoriais devidamente decorados, e com eventos de Natal, em que fazem concertos, teatro e tentam recriar menus e tradições de outras épocas.

O ano passado, por exemplo, na casa/museu de Charles Dickens havia imensos eventos de Natal. No meu trabalho, têm organisado missas cantadas, momentos de lazer com bebidas quentes, e até uma pista de gelo (é um campus universitário antigo, com uma igreja e algum espaço) e não consegui ir a nada. Para não variar, ando numa corrida contra o tempo para tentar cumprir prazos, e ter tudo pronto antes de voar para casa. Claro que não há nada melhor do que estar com a família. Mas confesso que o meu ideal de Natal sempre foi com frio, neve, e à lareira. E fico com pena!

sábado, 6 de dezembro de 2014

Europa: mãe e madrasta


A Europa. Berço da civilização. Mãe do 'Novo Mundo', espaço de culturas, línguas, pensadores, escolas de pensamento, produção académica, direitos sociais, direitos humanos, União Europeia, história, desenvolvimento, opções e tolerância. O que confortavelmente esquecemos é que o 'Velho -e sábio- Continente' também foi palco de duas guerras mundiais. Capaz de alcançar o melhor, mas também de iniciar o pior. Os partidos de extrema direita crescem que nem cogumelos, em quase todos os países. Estou cada vez mais preocupada. Acho que vamos voltar a fazer merda... E da grossa!

terça-feira, 11 de novembro de 2014

O sétimo selo

E agora que 'devorei' um livro do José Rodrigues dos Santos, no passado fim-de-semana, consigo perceber porque razão vende tanto em Portugal, e não só. Boa pesquisa, muitos factos, uma história bem estruturada, personagens trabalhadas o quanto baste, uma escrita muito ritmada e fluída. Não adorei mas gostei. E aprendi imenso sobre um tema sobre o qual sei muito pouco: a produção de petróleo e o aquecimento global. E fiquei assustada!

domingo, 9 de novembro de 2014

Pauline Ducruet

Está tão bonita a princesa Pauline, filha mais velha de Stephanie do Mónaco e de um dos seus ex guarda-costas. E parece que gosta de levar uma vida normal, e afastada dos holofotes. Espero que sim. Que continue equilibrada e não caia na vulgaridade da mãe.

sábado, 8 de novembro de 2014

George Eliot (1819-1880)






«It is too cruel to think that only the body, the face and witchery can spark mutual admiration and love. There is also the beauty of the mind, the cultivation of the soul.»

terça-feira, 4 de novembro de 2014

Frio ou calor?


 
Ora se anda na rua com casaco de Inverno e se sente calor, ou se está em casa aconchegada e o frio aperta. Anda tão esquisito este tempo londrino. Nem é carne nem é peixe!

domingo, 2 de novembro de 2014

Serpa Pinto

História, viagens, descoberta, Portugal, exploradores, expedições em África, século XIX. São ingredientes mais do que suficientes para atraírem a minha atenção. Em Dezembro, quando for a Portugal, tenho de procurar este livrinho!

sábado, 20 de setembro de 2014

A Escócia


Venho a este cantinho limpar o pó e dizer que tenho saudades do blog. Fiquei feliz com o resultado do referendo na Escócia, país onde ainda não meti os pés, apesar de andar por Londres há mais de uma década. É de facto uma falha grave no meu currículo de viajante, eu sei. Mas entre idas a Portugal, voltas por Inglaterra e férias noutros países, a Escócia vem sendo injustamente adiada. Mas um dia vai mesmo ser. Por agora, contento-me que o Reino continue Unido!

sábado, 2 de agosto de 2014

Just cozy ... #60

«There is nothing like staying at home for real comfort.»
                                                                                                          Jane Austen

sábado, 26 de julho de 2014

Das unhas e das amêijoas...

Gosto de belezas clássicas. De uma unha arranjada mas o mais natural possível. Fico em estado de 'choque' com o que vejo por aí. Cores, padrões, pedras, bandeiras e uma grossura de amêijoa à bulhão pato... Um exagero, um horror, uma breguice. Respeito mas detesto!

quinta-feira, 24 de julho de 2014

Casa de Chá - King John's Hunting Lodge


E nada como aproveitar o bom tempo para passear e tomar um 'afternoon tea' num sítio cheio de charme. Desta vez foi num fim-de-semana recente passado no campo, e numa visita à casa de chá 'King Johns Hunting Lodge', na histórica vila de Lacock. 

Tudo muito tradicional, e saboroso. Desde a esplanada à loiça, passando pelos scones e pela visita da dona do espaço, uma senhora com 86 anos que gosta de vir falar com os clientes, e perguntar se está tudo como desejamos.

A Lacock Village dá, aliás, um excelente post. Gostava de vos contar mais, sobre o que vi e senti, mas por agora nada prometo!

quarta-feira, 23 de julho de 2014

Calor e Londres? No, thank you!

Está um calor que não se aguenta por estas bandas. Tempo de Verão há vários dias. Devia bater palminhas, talvez sim mas acho que não. Acho que calor e Londres não combinam. Não gosto do gelo do Inverno, mas estaria sempre feliz com as temperaturas amenas de Outono e de Primavera. E por isso, mal posso esperar que as temperaturas desçam um pouco. É mais fácil trabalhar, andar de transportes e raciocinar!

sexta-feira, 6 de junho de 2014

Fim-de-semana!

Vou me dar ao luxo de estar de folga este fim-de-semana. Assim, de praticamente não trabalhar. Quero arrumar coisas e cozinhar, sim tenho saudades de fazer vida de gata borralheira, e com sorte passear um pouco. Mas que luxo!

quinta-feira, 29 de maio de 2014

Corfu, Paxos e Antipaxi

Estive 10 dias na Grécia. As primeiras férias em três anos e estava tão necessitada delas que nem quis esperar pela certeza de melhor tempo, e muito menos pelas enchentes do Verão. 

Após algumas pesquisas, optei por escolher Corfu como a ilha de pouso mais permanente, e não me arrependo da escolha.

 Corfu Town

São sete as ilhas Iónicas: Corfu, Lefkadas, Itaca, Paxos, Antipaxi, Kefalonia e Zantes. Corfu é a segunda maior e uma das mais visitadas. É um pouco mais pequena que a Madeira, muito verde a norte e com bolsas de turismo de massas aqui e ali, mas não em todo o lado.

Corfu Town

Quando andava a fazer pesquisa sobre a Ilha, para ter uma ideia sobre o que visitar e esperar, foi difícil encontrar textos em português. Há imensa informação em Inglês em todo o lado, mas como o que encontrei em Português foram dois ou três textos de viajantes Brasileiros, que estiveram em Corfu por 1 ou 2 dias, ou apenas algumas horas, achei que poderia fazer um pouco de 'serviço público' e contar algumas das minhas experiências e impressões, para ajudar futuros viajantes.

 Aeolos Beach

Uma das primeiras decisões foi a de não ficar no sul da ilha mas mais a norte. A zona de 'Kavos', no sul, é conhecida como sendo a de grande turismo de massas britânico. De hotéis de qualidade duvidosa, muito bar para se embebedar, muitas lojas etc. Não sei se é realmente um sítio a evitar, porque não estive lá, mas sabia que queria ficar numa zona mais calma e com menos turistas.

Escolhi Perama e recomendo vivamente se estão à procura de tranquilidade. O aeroporto de Corfu fica a 15-20 minutos, os tranfers para o hotel fazem-se rapidamente. Corfu Town, a capital, fica a meia-hora de autocarro, Kanoni com o seu belo mosteiro no mar fica mesmo ao lado, assim como uma das maiores atracções turísticas da ilha que é o Achilleon Palace. Este palácio foi mandado construir pela Imperatriz da Austria e rainha da Hungria, Elizabeth, também conhecida como Sissi, que passou temporadas na Madeira para curar a tuberculose. E com isto já vos disse muito.

Kanoni

Achillieon Palace

Em Corfu o que é imperdível, na minha opinião, é visitar a capital que tem uma grande influência arquitectónica italiana, ou mais precisamente, veneziana. A parte antiga da cidade é património mundial da Unesco, e também tem muitas lojas giras, com muitas recordações feitas em madeira de oliveira, e outros feitos com essa madeira e azeite. Corfu Town também tem cafés muito giros para passar o tempo a observar o Mundo. A não perder; as duas fortalezas da cidade e também o Mon Repos  Palace, onde nasceu o Duque de Edimburgo, o príncipe Filipe, que é marido da rainha de Inglaterra. Sim, porque o senhor é grego para quem não sabe.

Depois, como disse, vale muito a pena visitar o mosteiro de Kanoni e a ilha de Pontikonissi. Como o hotel onde fiquei não estava longe destes sítios, fiz uma caminhada de cerca de uma hora até lá. É muito bonito ver o mosteiro instalado em cima do mar, e tem uns cafés onde se podem fazer umas fotos panorâmicas lindas.

O Palácio de Achilleion também foi feito com um passeio a pé. O hotel onde fiquei está estrategicamente espalhado num pequeno monte, com acesso a mar e praia privada. Subimos até o topo do hotel, apanhamos a estrada e,  em pouco menos de meia-hora, chegamos ao Palácio da Sissi. É uma atracção a não perder porque é bonito, a história da monarca é interessante, tem óptimas vistas sobre a capital e o mar, e por lá viveu também o Kaiser Willhelm II, imperador da Alemanha e Rei da Prussia até 1918.

Sissi
O sul de Corfu tem as melhores praias e o norte as paisagens mais bonitas. Uma das maiores atracções turísticas, pela beleza natural que tem, é Paleokastritsa. É uma vila na zona oeste da ilha com várias praias e uma paisagem luxuriante, muito verde. Há lá uma rocha no mar que - segundo a lenda - é o barco da Odisseia que trouxe Ulisses as estas paragens. A melhor forma de ver esta paisagem é subir até à vila de Lakones, onde se consegue uma panorâmica e há muitos cafés com terraços mesmo a convidar os turistas a fotografar. Depois desce-se até às praias de azul turquesa que são lindas, e aconselho também uma visita ao mosteiro, que até é de entrada grátis.

Paleokastritsa

Ulisses...

Outra das maravilhas para quem fica durante uns dias é poder fazer cruzeiros a outras ilhas. Os mais populares são o cruzeiro às ilhas de Paxos e Antipaxi que recomendo vivamente. A ilha de Paxos é pequenina mas linda; parece saída de um conto de fadas, verde e ao mesmo tempo algo árida, com muitas oliveiras com casinhas e igrejas por todo o lado. A população é de 2300 habitantes e existem 75 igrejas. Uma loucura. A pequena vila de Lakka e a capital, Gayos, são as mais visitadas. Passamos lá a manhã, demos a volta à ilha numa excursão que demorou uma hora e depois almoçamos num sítio simpático junto ao porto de Gayos, a capital. Dá claramente para ver que é uma ilha para turistas endinheirados por ser tão insular. Não há aeroportos e tudo chega de barco! Não há também muitos hotéis, mas vi belas casas salpicadas pelos montes e junto à costa. 

 Gayos, Paxos

Lakka, Paxos

Depois demos um saltinho à ainda mais pequena ilha de Antipaxi, que tem praias azul turquesa como nas Caraíbas. Nesta praia, só existem três tasquinhas que estavam fechadas, mas abrem durante a época alta. Por isso, pouco há mais do que apenas mar e sol. Perfeito!

Antipaxi
Há também excursões à Albânia que não fizemos. Tenho esta pancada de não misturar países. Prefiro explorar o país onde estou do que estar a dar pulos a um país ao lado. Cada país merece total atenção, mas isto sou eu.

Albânia

Achei piada ao facto de os cães e os gatos que encontrei estarem quase sempre deitados a dormir e a descansar. Os poucos que encontrei de pé, andavam lentamente e tinham um ar tão ensonado que dava vontade de rir. Cheguei a pensar que ou são drogados ou há qualquer coisa de errado com a comida que dão aos animais.



Uma das melhores forma de conhecer Corfu é alugando um carro. Em dois dias consegue-se ver a ilha toda, sem andar a correr. Para além do que já mencionei, no dia que visitámos Palaiokastritsa fomos de carro pelo interior norte e fizemos - a partir da vila de Sidari - toda a costa de mar até à capital. Sidari é um destino de massas mas é simpático, e tem o famoso canal do amor. Parámos depois em Rodas e Kassiopi, adorei esta última vila portuária. Sossegada, com casas e lojas simpáticas e a Albânia ali em frente. É tão perto que penso que de barco deve levar menos de meia-hora a lá chegar. Nesta zona também se encontra o que os britânicos chamam de 'Kensington on Sea', onde os milionários, que vivem em Londres em zonas como Chelsea e Kensington, alugam mansões ou têm a sua própria mansão junto ao mar. Há casas e paisagens de sonho. 

 Blue Lagoon

Corfu não é a típica ilha grega de casas brancas. É conhecida como a Ilha Amarela, apesar da sua paisagem verdejante.

 Vila de Lakones

Algo menos positivo é o facto de haver muitos edifícios abandonados, que foram começados e estão por acabar, assim como cafés e hotéis fechados. Não dão a melhor das imagens, mas a recessão tem sido o que se sabe e sente...

Assim em género de conclusão, Corfu oferece boas praias e bom tempo a partir de finais de Maio. A comida grega é óptima, e os gregos são super simpáticos e muito parecidos connosco. A ilha tem uma história muito rica porque já foi italiana, inglesa, francesa e finalmente grega. Há um feliz equilíbrio em termos de paisagens naturais e edifícios de interesse histórico. E para quem quer, também há destinos de massas (Kavos, Sidari, Roda) e muita vida nocturna. Recomendo vivamente!

quinta-feira, 1 de maio de 2014

quarta-feira, 23 de abril de 2014

A espera...

E depois há momentos em que tudo parece verdadeiramente negro, inultrapassável e caótico. Mas depois a noite dá lugar à manhã, e a perspectiva volta...

domingo, 20 de abril de 2014

Tarde de Sábado



É perfeita, foi perfeita e será sempre. Porque estamos sempre em sintonia, mesmo que esfaceladas e em desacordo. Porque nunca precisamos de nos encontrar, e continuamos conversas que começaram há oito meses. O tempo passa e nunca passa por nós. Porque nos rimos e choramos, e fazemos compras pelo meio... Debitamos agruras, mas lembramo-nos sempre do que nos une. São sempre perfeitas amiga, mana, madrinha. As tardes, as manhãs e as noites. Despedimo-nos sim, mas não há viagem de avião, nem fronteira, nem estrada que nos separe. E sempre assim será!

sexta-feira, 18 de abril de 2014

Feliz Páscoa

Uma Páscoa feliz. 
Estaria a passá-la em Porto Santo, se fosse possível, para recordar as Páscoas da infância. 
Saudades de casa!

domingo, 6 de abril de 2014

sábado, 5 de abril de 2014

Ditados

Hoje lembrei-me de uma expressão usada por uma amiga de longa data: 

há olhos que se encantam por ramelas... 

E ainda bem, pois como diz a minha esteticista: 'cada panela tem a sua tampa'!

sábado, 29 de março de 2014

A realidade e a ficção

Um país vendido ao desbarato. Aos chineses, à Isabel dos Santos, ao presidente da Guiné Equatorial... Vai nos custar caro. E uma foto que não tem nada a ver, mas preciso de sonhar!

domingo, 9 de março de 2014

Fim-de-semana de Primavera

Não sei se a Primavera veio para ficar, ou se os raios de sol vieram apenas aquecer as almas invernosas. Mas que soube bem fazer uma caminha matinal na companhia do astro rei, disso não há dúvidas. Se assim for, não me posso queixar do Inverno este ano. Muita chuva mas nada de neve. Mas como o frio ainda pode voltar, há que aproveitar esta Primavera de fim-de-semana!

terça-feira, 4 de março de 2014

domingo, 2 de março de 2014

O Amor não tem espécie...

O urso polar Wang, que vive num jardim zoológico na África do Sul, está inconsolável. Perdeu a sua companheira Geebee, que morreu de ataque cardíaco. Estavam juntos desde 1985, quando vieram para o zoo - ele do Japão e ela do Canadá - nunca procriaram mas eram inseparáveis. Durante as primeiras 24 horas, Wang não deixou ninguém se aproximar do corpo, nem nunca o abandonou. Teve de ser sedado para que o corpo de Geebee pudesse ser retirado. Desde então, Wang partiu os brinquedos, tentou derrubar a porta, recusa ir para a piscina e tapa os olhos como se quisesse se esquecer do Mundo... Mais palavras para quê?