sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Feliz Ano Novo


Com saúde, amor, alegria, paz, trabalho, optimismo e muita muita garra para enfrentar os obstáculos quando o resto faltar. É o que desejo a todos. 

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Feliz Natal/ Merry Christmas


Meus queridos

Que a vida não anda fácil já todos sabemos. Mas vamos aproveitar esta quadra para elevar o que realmente interessa: o espírito de união, paz e amor, a troca de mimos, a família por perto (que pode não ser perfeita mas é a nossa) e esquecer as tristezas e apertos por uns dias. Tenham todos uma excelente quadra, com comidinha, copos e companhia da boa, e boas festas no corpo todo :)!

Beijos gordos
Rubi! 

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

«Muito mais tarde, quando se tinha convertido num senhor com fortuna, perante o qual os outros tiravam o chapéu, confessou-me que a pior pobreza é a de colarinho e gravata, porque tem de se disfarçar.» 
In 'Paula', Isabel Allende

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Impressões

E depois de passar uns dias em casa estou a modos que feliz e triste. Tanta gente em baixo, tanto desemprego, tanto desalento, tanto álcool, tanto cigarro. Nunca vi a malta tão desesperançada... Isto deprime!

Cheira muito bem!

A minha mãe usa um sabão de lavar as mãos que cheira a pastilha elástica de morango... Tão bom!

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Sinead O'Connor

Não ouvia falar da senhora há tanto tempo. Sinead O'Connor, a voz inconfundível do 'Nothing Compares 2 U'. Até que, recentemente, li numa revista que casou pela quarta vez em Las Vegas. Com o namorado de três meses. Agora percebo a razão de ser a quarta vez...lol Haja festa, haja música. Sinead volta, estás perdoada!

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Que pequeninos que somos

A capa da revista VIP diz que Bruce Willis e Andie Macdowell andam fascinados com Bobone. No rectângulo da tristeza vale tudo para dar nas vistas. Aposto que o Brucinho nem dorme de tanto pensar na Paulinha. Ou de como era bom terem vergonha na cara...

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Finalmente

Acabei o stock de cartões de Natal este ano. Mal posso acreditar. Ficavam sempre postais de um ano para o outro. Sei que enviar postais pelo correio é uma tradição que está a acabar, houve Natais em que enviei muito poucos ou nenhum, mas também considero que é especial receber um cartão à moda antiga. Pelo correio, escrito por nós. Aconchega e enternece. Mas sim, acabei o stock e ainda bem. Posso comprar novos em 2012 :)!

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Facto!

O gangue de Westminster (os meus queridos colegas e amigos de mestrado) deixaram claro, no último jantar, que temos de organizar novo evento no final de Janeiro, para que todos os que não estavam presentes em Dezembro possam lá estar. E que tenho de ser eu a organizar, porque só quando sou eu é que toda a gente vai... Ai ai, que canseira. lol

sábado, 10 de dezembro de 2011

O fato da felicidade

E este ano levei com tanto creme hidratante, esfoliante e manteiga de corpo como presente de aniversário que só poderei andar hiper, mega, tsunami bem cheirosa. Não é que por norma não ande, mas com um reforço de stock destes não há desculpa nem espaço para cremes insossos. Também houve vinho, chocolates de luxo e flores entre outras coisas. Mas mais do que tudo há amizade, amor, carinho, atenção e muitas gargalhadas. O fato da felicidade!

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Chega-te para lá!

Acabei de dizer a uma amiga - que não vejo há uns dois ou três meses - que sinto a falta dela e hoje à noite vou lhe dar um grande abraço. Ela respondeu que também tem saudades minhas. Sei que a moça não se sente nada confortável com os abraços e beijos, os nossos instintos e comportaments latinos. Disse-me que, no início, ficava toda aflita quando lhe dava um abraço. Agora já se habituou. Mas só me revelou o que sentia dois ou três anos depois de nos conhecermos. Sei que os ingleses são assim, nada de muitas aproximações físicas. Azar! :)

Discreta mas nem tanto...*

A mulherzinha é discreta. Com ar de avózinha, simpática, silenciosa, é minha colega de trabalho e senta-se mesmo em frente à minha secretária. Mas as suas malas não são nada discretas. É cá com cada bomba... Muito bom gosto, sim senhor!

*PS - Pronto, é a minha fraqueza em termos de moda. So what?

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Smile

Invasão de cheiros e sabores

A revista 'Stylist' desta semana tem a Nigella Lawson como editora. Os conteúdos foram adocicados e recheados de sabores. Um conceito diferente, agora que se aproxima o Natal, para inspirar quem anda à volta dos tachos. Uma das sugestões é cheesecake de Nutella. Com nozes picadas, manteiga, nutella, bolachas e queijo. Mas que bomba calórica!

sábado, 3 de dezembro de 2011

E foi um dia giro, giro, giro. Como nos bons velhos tempos. Que saudades das Chikas!

Welcome December

Entretanto Dezembro já cá canta. Que bom :). Mas não, que não venha a neve ainda pois a quantidade que caiu o Inverno passado deu e sobra. E hoje há mini-reunião de 'Chikas Poderosas' :), em Londres!

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Os fins-de-semana já não chegam. O que preciso é mesmo de uma mudança de cenário. 
Ou será de paradigma?

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Malvados

Andam quase todas as semanas a mandar emails a avisar que há descontos especiais de 25/30% por razão nenhuma. Lembram-me que tenho cartão de cliente, que ainda fico com os pontos etc etc. Hoje têm a lata de mandar email a avisar que a minha prenda de aniversário, que se aproxima, é um desconto de 10%. 10%? 10%? Ainda se fosse 50. Vão mas é cavar!

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Verdades inabaláveis

Posso ter saudades de Bolonha, de Roma, de Paris, do sol, da praia, de peixe fresco e de muitas coisas mais. Mas as saudades que tenho tuas são curadas, ao vivo e a cores, todos os dias. E isso não há dinheiro que pague!

Não faz o meu género

Apesar de estar a levar pancada de todos os lados, tenho uma qualidade: nunca culpo o mundo ou os outros, espeto veneno, ou respondo/trato mal, pela areia ou pelos sapos gigantes que tenho de engolir. Lido com a situação e esperneio, mas não dou pontapés. Ninguém tem culpa. A vida não é fácil!

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

O cheiro das tangerinas...

Basta descascá-las, e sentir o aroma, para que seja transportada para casa e junto da família. Holidays are coming, holidays are coming, holidays are coming, holidays are coming. And I cannot wait!

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Take another plane

Eu não queria MESMO começar a praguejar a TAP (já começei). Mas a cegada das greves parece que vai arrancar, e uma pessoa ainda nem sabe se tem que enfrentar nevões... É muita adversidade ao mesmo tempo. Meus senhores, trabalhem, averguem o serrote que há muita gente desempregada que daria tudo para ter um ganha pão.

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Almost there

A vida não anda fácil por estes lados, muitos desafios, muita pressão e alguns vazios e desilusões. Mas em menos de um mês estarei por casa para as celebrações natalícias. Tenho muitas coisas por resolver, e que não podem ser adiadas. Mas tudo será feito ao ritmo de lá, rodeada pelas pessoas que me fazem descer à terra e que me dão perspectiva. E pelo meio brincadeiras com o Rocky, tenho tantas saudades dele!

terça-feira, 15 de novembro de 2011

Um frio de rachar, trabalho às toneladas, pressão, stress, deadlines. Não me recomendo!

domingo, 13 de novembro de 2011

Um olhar inconfundível. Saudades também das grandes interpretações da Jodie Foster!

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Body wrap

Uma coisa destas também calhava bem!

Nunca dei grande importância a anéis e respectivos significados. Talvez porque raramente tenho expectativas quando conheço alguém. Deixo-me levar, numa conversa que seja para além de boa, e não penso na hora ou no dia seguinte. Nunca fui de olhar para as mãos deles para tentar perceber estados civis ou de alma. E assim coloquei no dedo o anel que ele me ofereceu, a pensar que o significado e momento só a nós interessava. Mas não é nada assim. As pessoas notam, e perguntam, e querem saber. E eu, acanhadamente, digo que sim.

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

O amigo do alheio

Abri o saco que tenho no trabalho, onde guardo o café da marca que gosto, algumas bolachas, às vezes algum chocolate, guardanapos, entre outras coisas, e percebi que um intruso tinha andado por lá. Havia papel roído... Nem toquei mais no saco. Fui lavar as mãos e pedi a um colega que abrisse o saco e visse se o intruso estava lá dentro. O meu colega retirou tudo, confirmou que o criminoso andou por ali e pediu-me para vir ver. Eu, do outro lado da sala, pulava e dizia: mete tudo dentro do saco e fecha, vou jogar no lixo. Ele não queria acreditar. Mas o café está fechado, e as bolachas seladas, o saco está em bom estado, e isto e aquilo... E eu só dizia, não, não, fecha, fecha, por favor. Põe no lixo, tudo, latas, saco, tudo. Não quero nada, nada. E assim foi. 

P.S - Quando avisei o meu chefe que havia ali bichinhos nojentos, ele respondeu que era só 1. Passava em frente ao seu gabinete todas as noites, para dizer olá, e chama-se Mickey... Fiquei desarmada, assunto encerrado!

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Um domingo em Oxford




Um domingo passado em Oxford com, entre outras coisas, uma visita guiada à Boldleian Library. É podre de antiga, e linda, e faz parte da famosa universidade. Senti-me integrada num filme Harry Potter. E não é que, mais tarde, a guia nos disse que partes do filme foram ali filmadas?

sábado, 5 de novembro de 2011

O vestido de carne

Jo Edwards, uma fã da Lady Gaga que é designer de moda, resolveu imitá-la e criou um vestido feito de carne. E assim foi para o trabalho, desfilando pelas ruas de Londres. Não demorou muito para que um 'amigo de quatro patas' se sentisse atraído, e quisesse 'trincá-la', afinal estava na hora do pequeno-almoço. Aposto que está a pensar: comia-te toda! :)

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Este cantinho já tem página (ainda que meia morta) no facebook. É só procurar 'Penseiquesabia'. Beijinhos

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Chatsworth House


Escrever sobre Chatsworth House tornou-se uma missão difícil. Não só pelo deslumbramento, aliás acho que nem foi deslumbramento mas mais uma sensação de conforto por não ficar aquém das minhas altas expectativas, mas também porque se tornou num lugar muito especial para mim, ou para nós*. Vinha anestesiada com as paisagens de Derbyshire, e tinha visitado outra espectacular casa senhorial no dia anterior. Parte do edifício estava tapado, por estarem a acontecer trabalhos de recuperação, e era precisamente a fachada da mansão que fica virada para um imenso e deslumbrante lago. O que aparece num vídeo que publiquei há uns tempos. E só por esta razão vou ter de voltar. 
 
Foi contruída no início do século XV pela família Leche. Venderam mais tarde a William Cavendish que, em 1553, começou a construir uma nova casa na propriedade. Quando faleceu, em 1557, a esposa - Elizabeth Talbot - condessa de Shrewsbury, continuou as obras e viveu na propriedade com o quarto marido, George Talbot, o 6º conde de Shrewsbury. Em 1568, o conde ficou incumbido, pela rainha Elizabeth I, de ser o guardião de 'Mary Queen of Scots', uma prima da rainha que tinha sido monarca na Escócia e em França, e que tinha pretensões ao trono inglês. Elizabeth I queria ter a certeza que a prima seria mantida como prisioneira, e não iria ameaçar o seu reinado, e Mary viveu prisioneira em Chatsworth.

Elizabeth Talbot faleceu em 1608 e Chatsworth passou a ser propriedade do seu segundo filho, que tal como o pai se chamava William Cavendish, e foi o primeiro Conde de Devonshire.

A enorme propriedade foi passando de geração em geração, e alguns duques tiveram um papel mais interventivo. Uma das histórias mais interessantes foi a da duquesa de Devonshire, Georgiana Cavendish (1757-1806), esposa do 5º duque, também conhecida por Lady Spencer. É uma ascendente da actual Sarah Fergurson, a duquesa de York, se bem que Georgiana foi muito mais admirada e influente, tanto que os britânicos dizem que foi a princesa Diana do seu tempo.

                Georgiana Spencer Cavendish

Era uma mulher muito bonita e culta, pertencia à mais alta hierarquia social, mas teve um casamento infeliz. O marido, William Cavendish, o 5º duque, teve amantes e filhos ilegítimos e teve um caso amoroso com a melhor amiga de Georgiana durante 25 anos. A amiga chegou a ter filhos com o duque e viviam todos sobre o mesmo tecto. Georgiana era uma figura respeitada e conhecida na corte, causava espanto por onde passava e era viciada no jogo. Adorava moda e política e apaixonou-se por um aristocrata, Charley Grey, com quem teve uma filha. O seu amante foi depois primeiro-ministro do Reino Unido, e o marido de Georgiana obrigou-a a dar a filha ilegítima à família do amante, que acabou por criá-la. Mas Georgiana manteve uma relação próxima com a filha e visitou-a sempre. Tanto que quando a filha teve uma menina fez questão que, tal como a avó, esta se chamasse Georgiana. Lady Spencer foi uma sofredora e quando morreu tinha muitas dívidas por causa do jogo, mas a sua fortuna era também imensa. O filme 'A Duquesa', de 2008, com Keira Knightley, retrata a fascinante vida de Georgiana Spencer/Cavendish.

O sexto duque de Devonshire nunca casou. Era um cidadão do Mundo, adorava viajar, arquitectura, jardinagem e escultura e transformou Chatsworth. Em 1811 herdou vários quadros e propriedades, diz-se que era dono de mais de 200 mil hectares de terra. Contratou o arquitecto Jeffry Wyatville para modernizar o palácio e adaptá-lo ao século XIX. Em 1844, publicou um guia de Chatsworth e Hardwick, uma outra espectacular casa senhorial pertencente à familia, e que tive o privilégio de visitar no dia anterior a Chatsworth.

Em Outubro de 1832, a princesa Victoria (mais tarde rainha Victoria) visitou Chatsworth. Em 1843, quando já era monarca, Victoria voltou a visitar Chatsworth com o marido, o principe Albert. Durante a segunda guerra mundial, o palácio foi usado como escola para meninas e alguns quartos foram transformados em dormitórios.

Em 1944, Kathleen Kennedy, irmã do ex-presidente John F. Kennedy, casou com William Cavendish, o Marquês de Hartington, o filho mais velho do 10º duque de Devonshire. Contudo, ele morreu durante a segunda guerra mundial, num acidente de avião na Bélgica. Kathleen Kennedy também faleceu num acidente de avião em 1948. O irmão mais novo de Cavendish, Andrew, tornou-se o 11º Duke de Devonshire e casou, em 1950, com Deborah Mitford.

Chatsworth é uma propriedade que está aberta ao público durante praticamente todo o ano, e atrai um número de visitantes impressionante. É certo que visitei num dia feriado mas estava muito cheia.

                                                    Uma aquisição para a próxima visita

Foi construída com o intuito de deslumbrar e mostrar ostentação, opulência e fausto e para receber reis. Mas não foram muitos os monarcas que visitaram a propriedade. Senti a determinada altura que lhe faltava alma, um género de grandeza vazia de humanidade. Por entre os luxuosos salões, quadros e porcelanas, descerram as histórias dos quartos. Aqui ficou o rei X, ali o primeiro-ministro Y, este quadro foi influenciado pela colonização H, etc. É um óptimo programa para passar o dia.

E depois são os espaços exteriores, os jardins, as cascatas, os muros de pedra, os lagos, as lojas, o cheiro a campo, o chá das cinco, para quem quiser. Adorei a estátua da cara tapada que vi no filme 'Orgulho e Preconceito'. Tinham uma réplica na loja, muito bonita, que dessa vez não pude comprar. Mas um dia será. O palácio tem 126 quartos, quase 100 estão fechados ao público. O actual duque de Devonshire, o 12º, vive com a família numa área cujo acesso ao público está vedado. 

*P.S - E qualquer visita, num cenário destes, se torna inesquecível quando o 'Mr. Darcy', como manda a tradição, oferece-nos um anel e nos pede em casamento. Mas isso é outra história :)!


segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Continuo a achar que a expressão 'para inglês ver' nunca fez tanto sentido!

domingo, 30 de outubro de 2011

sábado, 29 de outubro de 2011

Os blogues

Li há uns tempos sobre como era mais giro ler os blogues na sua fase inicial, quando as autoras não eram conhecidas, escreviam o que pensavam, não eram pagas por isso e o que faziam era por prazer e como passatempo. Foi uma fase de maior interacção entre os bloguistas, em que se opinava mais livremente,  e foi sem dúvida um período muito mais interessante.


Não tenho nada contra quem faz dos blogues um ganha pão e modo de vida. Gosto de poder partilhar o que me apetece e, por essa razão, ainda ando por aqui. Compreendo que se são blogues muito lidos, e populares, é porque quem os criou tem mérito. Mas confesso que aquela publicidade toda a piscar é cá um repelente... Parecem árvores de Natal. E é-me difícil acreditar que o que dizem sobre X e Y é mesmo verdade, e não uma 'verdade' que se paga para divulgar. E claro, já não gosto tanto de os ler, mas isso sou eu. E cada um caça com o que tem.

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Ufa

E basta ficar uns dias a trabalhar a partir de casa para chegar a umas conclusões: a partir das 10 da manhã, até às quatro da tarde, circulam nas ruas e lojas mulheres mamãs, a carregar bebés ao colo e no carrinho. Para além disso, vê-se idosos e vagabundos que vivem como parasitas do sistema social. O resto da malta está a trabalhar. E tenho trabalhado mais em casa do que no trabalho.

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

terça-feira, 25 de outubro de 2011

O sexo dos anjos

Imaginem que escrevem um email e mandam para uma empresa a perguntar se podem oferecer o serviço X e Y às sextas às quatro da manhã, e ao sábado às 11:43 (ironia, of course). Eles respondem a dizer que o produto é de cor amarela, que existe uma versão rosa alface e que no próximo ano também vão vender cavalos. Foi mais ou menos isto que me aconteceu. E ainda houve a frase final em que diziam que esperavam ter respondido às minhas questões e que se tivesse mais alguma dúvida era só dizer... Confesso que até tenho receio de mandar outro email. Estamos entendidos, not!

domingo, 23 de outubro de 2011

O casaco vermelho

Para continuar por agora a dar descanso aos casacos escuros de Outono/Inverno, e porque o tempo já pede um casaco a sério, resolvi apostar num casaco vermelho. Um modelo simples e clássico e que - modéstia à parte - me fica muito bem!

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Jogo de cintura

Ele atirou as suas frustrações sobre mim, fez julgamentos que não correspondem à verdade, foi agressivo, mal-educado e tudo mais. Ele não tem autoridade para me falar daquela forma, (até estou numa posição hierárquica superior), nem admito que me falem assim. Hoje sentei-me com ele e, calmamente, expliquei isso mesmo, que não tem autoridade, nem conhecimento nem o direito de me falar assim. Que da próxima reportava aos superiores e deixava-o a falar sozinho. Pediu-me desculpa, admitiu tudo e bola para a frente. Se me sinto vencedora? Claro que não. Limpámos o passado e está tudo como estava antes.

Cute dogs!