sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Ele é cheio de si!

Tivemos um mau começo. Estava numa posição em que iria supervisionar o seu trabalho, e o que vi não estava de acordo com os 'standards' exigidos pela empresa para a qual faço consultoria. Tive que lhe pedir que me mandasse mais 'amostras'.  Ele recusou, disse que não tinha tempo, e percebi que não gostou nem um pouco do feedback menos bom sobre o que tinha feito. Afinal ele é doutorado e inglês. Eu ainda não sou doutorada e sou estrangeira. Fui profissional e educada, expliquei que apenas segui os parâmetros dados pela empresa. Ele disse que entendia mas foi mais do que evidente que estava possesso comigo.

Agora estou a trabalhar sob a sua alçada. Não foi ele que me escolheu mas um dos seus chefes. Como 'prenda' recebi um monte de emails secos, bruscos, agressivos (sempre dentro do admissível), e respondi com educaçao e profissionalismo. Finalmente recebi um email apaziguador, a agradecer a sinceridade e a capacidade de organização. Acho que está a baixar as armas. Vêm aí mais uns meses de trabalho conjunto, e supervisionado por ele. Espero que o ambiente se mantenha. Vou continuar a apostar na humildade, profissionalismo e excelência!

PS - E se me chatear muito mando-o para o $#%&"»/ e pronto!

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Salomé


Esta mãe gorila, de nome Salomé, deu à luz na passada terça-feira após ter recebido um tratamento de fertilidade. Foi no jardim zoológico de Bristol e as fotos foram tiradas logo a seguir ao parto. Ela, como qualquer mãe, envolve o bebé mostrando o seu amor e cuidado. E o cuidado é tanto que ninguém se pode aproximar, ainda nem conseguiram ver o sexo do recém-nascido. Fiquei com o coração derretido!

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Reuniões

Reuniões de quatro horas, todas as semanas, não servem para nada. Roubam-me tempo, espaço, oxigénio e paciência!

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

O vestido branco

Que bicho terá mordido a Geri Halliwell para ontem ter ido assim vestida para uma gala de beneficência? O vestido é lindo, mas ficou toda a gente a pensar que a moça se preparava para entrar na igreja. A gala 'Raisa Gorbachev' realizou-se no 'Hampton Court Palace'. Já lá estive três vezes. A nossa rainha, Catarina de Bragança, viveu no palácio. É um sítio lindo lindo lindo!

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

O tempo muda e o meu corpo também. Grrrrrrrr...

A GERAÇÃO ENRASCADA

Não sei de quem é este texto, mas vale a pena ler. 

O grande homem é aquele que não perdeu a candura da sua infância…
Pertenço a uma geração que teve de se desenrascar.
Nasci ao som do rufar dos tambores da 2ª Guerra Mundial. Os clarins e as sirenes faziam o toque de à rasca, anunciando mais um bombardeamento.
A Santa da minha Mãe, pariu-me de cócoras. Quando se sentiu à rasca, muniu-se da tesoura e do baraço e fez tudo sozinha. Chegou por casualidade uma vizinha e ajudou aos últimos preparativos, talvez um caldo de galinha velha, que era o prémio de qualquer parturiente. Hoje, as que se rotulam de à rasca têm seis meses de licença de parto. Essa vizinha, que durou cento e tal anos, passou a vida a contar-me isto, vezes sem conta.
Aos miúdos, faziam uns calções com uma abertura na retaguarda, e, quando estivessem à rasca, baixavam-se, o calção abria e fazia-se em escape livre e, andava sempre arejado.
Aos dezoito anos, ainda o comboio passava em Mirandela e tive o azar de fazer cargas e descargas dos vagões para os camiões. Os adubos vinham em sacos de 100 kg, as pernas tremiam mas tinha que me desenrascar. Os mais velhos sabem do que falo, o trabalho era duro incluindo as cegadas, mas…. fazia-se tudo a cantar.
A mesma geração, fez as três frentes da guerra colonial, morreram nove mil e quinze mil ficaram mutilados e a cair aos bocados, chamam-lhes Heróis, mas dizem desenrasquem-se.
O 25 de Abril foi feito por essa mesma geração, bons líderes, povo unido e desenrascaram-se muito bem.
Por fim, a debandada da emigração para toda a Europa, atravessando montes e vales íamos chegando a todo o lado. Vivíamos em contentores e barracas, o tacho onde se lavavam as batatas era o mesmo para se lavar o nariz, mas não nos desenrascamos nada mal.
Depois veio a geração rasca. Drogas, rendimentos mínimos e vergonha de trabalhar.
Agora, dizem ser a geração à rasca, querem ser todos Doutores, arrastam-se anos à volta dos cursos, os parques universitários estão cheios de carros de luxo, ficam por casa dos Pais até aos trintas e “quem aos vinte não é, aos trinta não tem, aos quarenta já não é ninguém”.
São uns enrascadinhos, não querem assumir a responsabilidade de uma família, vagueiam de noite, dormem de manhã e a Mãe chama-os para almoçar. O Pai vai recheando a conta, porque um Pai é um banco proporcionado pela natureza.
Eu não quero medir tudo pela mesma rasa e acredito muito na juventude, aconselho-os a que se caírem sete vezes se levantem oito, porque o Governo está à rasca, a oposição está enrascada e a juventude não se desenrasca.
Os que cantam, Homens da Luta, é uma luta sem comandantes e o povo vencido jamais será unido.
Façam pela vida… E, não estejam à espera que o mar arda, para comer peixe grelhado!...

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Garganta

Que a infecção fique pelo seu início, por favor. É que não tenho tempo de ficar doente...

terça-feira, 20 de setembro de 2011

Salve-se quem puder...

Porque a palavra 'buracos' nunca esteve tão na moda, há que salvar-se enquanto é tempo...

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

domingo, 18 de setembro de 2011

Downton Abbey

A segunda série começa esta noite. Mal posso esperar. Nos entretantos, vou-me inspirar esta tarde numa visita a outra casa senhorial!

sábado, 17 de setembro de 2011

Congratulations Natária and Graham

Tenham um dia maravilhoso e uma vida muito feliz queridos amigos.

Era uma vez um avião

Começo a não perceber a razão pela qual se fazem festivais aéreos. É que, nos últimos tempos, não há evento desses que não acabe em tragédia e mortes. Se me convidassem a assistir a um festival aéreo diria que não, sem papas na língua.

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Vogue de Outubro

Quis comprar a edição britânica da Vogue de Outubro, que traz a Adele na capa, e andei à procura da revista num final de dia já tardio, tipo 9 da noite. A caminho de casa parei em vários sítios (uns 5) e nada, nada de Vogue. E quando perguntei também não sabiam do que estava a falar, nunca ouviram tal nome... Shocking and funny :). Pronto, só preciso de ir à procura num bairro mais cosmopolita. Aposto que se andasse à procura da revista  'Asiana'...

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Hello!

O fim-de-semana voou e não fiz metade do que tinha para fazer. Dormi mal e devia estar com péssimo aspecto mas não estou, não vejo olheiras nem ar de cansaço. Deixa chegar a meio da tarde... What a start!

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Qual é o limite?

Tesourinhos deprimentes

Um dia destes, quando andava pelas ruas dum bairro muito étnico de Londres, reparei na quantidade de letreiros, posters e anúncios que ilustravam as ruas e as lojas. Lembrei-me de que poderia criar aqui uma rubrica de 'tesourinhos deprimentes' ao nível do marketing. É com cada uma, coisas horríveis que dão vontade de rir. Como a foto do senhor oriundo do médio-oriente (calculo), enverga uma bata branca, é talhante e tem na mão uma grande faca ensanguentada. A intenção é promover o respectivo talho. Mas a foto mete medo, parece que está pronto a cortar as goelas a alguém...lol

terça-feira, 6 de setembro de 2011

Sombrinhas da Bourjois

Sou fã das sombras da Bourjois há anos. Adoro o efeito nos meus olhos, leve e acetinado, são óptimas como cor de base porque combinam com quase tudo. Comprei recentemente uma azul que é linda. Um dia quero ter as cores todas.

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

National Trust


A 'National Trust' é uma organização inglesa, criada em 1894, que cuida e preserva espaços únicos por todo o Reino Unido. Palácios, casas antigas, muralhas, paisagens, moinhos, casas senhoriais etc etc. O Reino Unido, na minha opinião, está muito subvalorizado enquanto destino turístico. Porque o tempo não é famoso por estas bandas, não se fala o suficiente das paisagens magníficas e das riquezas culturais e históricas espalhadas por todo o reino. E eles cuidam tão bem do seu património.

Tornei-me sócia da 'National Trust' o ano passado. Foi dinheiro muito bem gasto. Paguei uma anuidade e, com isso, posso visitar todo o património que está a ser gerido pela organização sem pagar bilhete. Para quem gosta de explorar e aprender sobre o passado, e eu gosto imenso, é uma óptima forma de passar o tempo. Há sempre programas para fazer e, em qualquer parte do país onde esteja, estou sempre perto de sítios lindos. Nos últimos tempos tenho dado prioridade às mansões dos aristocratas, que ensinam tanto sobre a vida da criadagem e das Ladies e Sirs. Cada sítio que tenho visitado merece que publique um texto e fotografias. Um deles foi a casa de Winston Churchill. Confesso que não sabia que o senhor ganhou o prémio nobel da literatura. Vou tentar publicar alguns.
Tantas ideias para escrever e tão pouco tempo... Volto logo que possa escrevinhar. E sim, não me esqueci dos leitores que pediam um texto e fotos de Chatsworth House. Vou publicar assim que for possível, pode é não ser muito em breve.

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Para inglês ver

Quando me falam de ir a Manchester, ou se já visitei Manchester, começo a sentir arrepios. Sim estive em Manchester uma vez apenas, corria o ano de 2004. E não faço intenções de lá voltar. Fui a trabalho e não fiquei muito tempo, dois ou três dias se não me engano. 2004 e os anos seguintes foram pródigos para perceber que a Inglaterra não era nada do que pensava. Achava que os ingleses eram todos cavalheiros cultos e educados, tal qual os turistas que, noutros tempos, visitavam a Madeira e de boa linhagem. Não poderia estar mais errada. A Inglaterra tem imensos problemas sociais, grandes faixas da sociedade a viver em bairros de meter medo, muita probreza e muita falta de educação, formal e de nascença. E Manchester é uma grande mancha que representa o que atrás descrevi. Não é glamorosa, nem rica, nem posh. Há meia dúzia desses e mais nada, o resto é medonho, e até perigoso para os estrangeiros. A mentalidade a norte é a de que quem tem 'sotaque' que não é 'British' está cá para roubar empregos. Estou muito bem em Londres, obrigada!

Woman In Love


Porque faz sentido!