sábado, 29 de setembro de 2012

Wish us luck!

E depois de um pequeno-almoço reconfortante, ala que se faz tarde. O dia vai ser longo e há muito que fazer!

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Martin Luther King

Uma pessoa passa a vida toda a ouvir falar de Martin Luther King e do famoso discurso 'I have a dream'. Mas confesso que ler o discurso de fio a pavio era algo que nunca tinha feito. Conhecia algumas ideias, sabia umas coisas, mas nada que se compare a contextualizar o tempo e o discurso. Ando a ler uma pequena biografia do líder religioso e ontem chegou a essa parte, da famosa intervenção em Washington. King tinha preparado um outro discurso mas naquele dia sentiu que tinha que libertar o que lhe ia na alma. Deixou de lado os rascunhos e falou com o coração. Deixo aqui algumas das passagens que mais gostei:

«Vocês são veteranos do sofrimento criativo. Continuem a trabalhar com a fé de que um sofrimento injusto é redentor. 

Voltem para o Mississipi, voltem para o Alabama, voltem para a Carolina do Sul, voltem para a Geórgia, voltem para a Luisiana, voltem para as bairros de lata e para os guetos das nossas modernas cidades, sabendo que, de alguma forma, esta situação pode e será alterada. Não nos embrenhemos  no vale do desespero.

Digo-vos, hoje, meus amigos, que apesar das dificuldades e frustrações do momento, ainda tenho um sonho. É um sonho profundamente enraizado no sonho americano. 

Tenho um sonho que um dia esta nação levantar-se-á e viverá o verdadeiro significado da sua crença: "Consideramos estas verdades como evidentes por si mesmas, que todos os homens são criados iguais".

Tenho um sonho que um dia nas montanhas rubras da Geórgia os filhos de antigos escravos e os filhos de antigos proprietários de escravos poderão sentar-se à mesa da fraternidade.

Tenho um sonho que um dia o estado do Mississipi, um estado deserto, sufocado pelo calor da injustiça e da opressão, será transformado num oásis de liberdade e justiça.

Tenho um sonho de que os meus quatro filhos viverão um dia numa nação onde não serão julgados pela cor da sua pele, mas pela qualidade do seu caractér.

Tenho um sonho, hoje.

Tenho um sonho que um dia o estado de Alabama, cujos lábios do governador actualmente  pronunciam palavras como 'intervenção' e 'anulação da integração racial', que um dia seja transformado numa condição onde pequenos rapazes  negros, e raparigas negras, possam dar as mãos com outros pequenos rapazes brancos, e raparigas brancas, caminhando juntos, lado a lado, como irmãos e irmãs.»

segunda-feira, 24 de setembro de 2012

Sopa

Chegou a época do ano em que se come sopa com mais prazer. E eu não me importo nada. Tenho de fazer uma sopa de tomate com ovo um dia destes. Com tempo fresco, e chuva, não há melhor.

John F. Kennedy


Acabei de ler uma pequena biografia sobre John F. Kennedy, escrita por Alan Posener, e foi sem dúvida um bom ponto de partida para começar a desvendar o homem, e voltar a rever alguns conceitos da política americana dos anos 50 e 60.
Não sabia de muita coisa. Que Kennedy tinha graves problemas de saúde, que parecia não ter grande afeição pela mulher, Jackie, mas lá de quando em vez se lembrava de a engravidar, que ambos eram frios, de famílias tradicionais e ricas, que até lhes convinha os espaços que davam um ao outro, para manter a relação e dar a imagem de que eram uma família sólida e feliz.
Se calhar estou a ser demasiado dura. A verdade é que o livro não fala muito sobre a relação dos dois, menciona como se conheceram, que casaram, que JFK teve vários casos extra-conjugais mas via em Jackie uma boa mãe de família e aliada, por ser uma mulher bonita, educada e elegante. Jackie deu à Casa Branca uma aura real, e transmitia à população uma imagem de seguranca sustentada pelo poder da tradição.  
Também não sabia nada sobre o pai de Kennedy, Joe. Que era tão dominador, obcecado até com o futuro dos filhos, que orientava ao máximo a vida profissional de cada um, sobretudo dos rapazes e do filho mais velho (que também se chamava Joe), e que o pai do ex-presidente chegou a ser embaixador americano em Londres. Aos filhos não admitia falhas, ser segundo melhor de nada valia, escondeu os casos amorosos que tinha, a doença grave de uma das filhas e até do futuro presidente Kennedy.
O livro também menciona o início das tragédias da família. A irmã Kathleen casou com o Duque britânico de Devonshire e, por essa razão, seria a próxima senhora de Chatsworth House.
O duque morreu num acidente de avião, Kathleen morreu num outro acidente de avião, poucos anos depois, e o irmão mais velho de John Kennedy, Joe, também faleceu num acidente de avião.
Foi um rude golpe emocional para o pai. Joe era um homem forte, saudável, culto e inteligente e tinha o perfil ideal para fazer carreira política. Com a morte do irmão, John passa a ser o filho mais velho e as ambições do pai voltam-se para ele.
Durante a presidência de Kennedy, houve verdadeiros avanços em termos de direitos civis para a raça negra. Kennedy era um liberal católico e não concebia que 10% da sociedade americana (a de raça negra) não tivesse os mesmos direitos que a restante população.
Ao nível das Relações Internacionais, durante a era Kennedy houve sucessos e desaires políticos. A invasão na Baía dos Porcos em Cuba correu mal, assim como os desenvolvimentos na guerra do Vietname, mas Kennedy conseguiu sair por cima na questão da crise dos mísseis em Cuba.
Jackie nunca quis acompanhar o marido durante as viagens que fazia, dentro ou fora do país, mas Kennedy pediu que fosse a Dallas com ele... E foi em Dallas que foi assassinado! 

domingo, 23 de setembro de 2012

Outono

E hoje está mesmo frio e agarrei no pijama pela primeira vez. Não pude estar por casa, tive tarefas a fazer, mas agora é mesmo pijamar, aquecer, muita bebida quentinha e ver a chuva a cair lá fora. Ah, claro e ver Downton Abbey daqui a pouco. Maravilha!

English Rose ... 6

Rosamund Pike

quinta-feira, 20 de setembro de 2012

Da propagação de inverdades

De há uns tempos a esta parte, incomoda-me cada vez mais ver divulgadas, através de emails e nas redes sociais, supostas verdades e 'informações' que não passam de grandes mentiras mas que de tantas vezes repetidas são aceites como verdades.
De repente, parece que não há diferença entre investigação a sério, seja ela académica ou jornalística, e a propaganda escatológica que com certeza há pessoas, e empresas, que têm interesse em divulgar.
Lembro-me, por exemplo, de há uns anos receber emails a contar uma história sobre Tommy Hilfiger, de como era racista e dizia não esperar que a sua roupa fosse comprada por latinos e pessoas de raça negra.
O email até dizia que o criador tinha sido desmacarado no programa de Oprah Winfrey, que a apresentadora lhe tinha pedido que abandonasse o programa por ser racista. Tudo mentira!!! No entanto, e porque os filhos de Tommy Hilfiger estavam a ser descriminados na escola, o criador foi mesmo ao programa da Oprah para que tudo fosse desmentido, e os dois até riram e gozaram com a situação.
Recentemente vi ser divulgado no facebook que no parlamento inglês os deputados não tinham direito a ajudas de custo, nem a casa paga pelo estado, caso estivessem deslocados. Grande mentira. Têm direito a casa paga caso sejam naturais de outras zonas do país, têm ajudas de custo e até houve um escândalo, há cerca de dois anos, sobre os gastos quando se descobriu, entre outras coisas, que um deputado andava a alugar videos porno, com as ditas ajudas de custo, para ver na sua casa alugada pelo estado, e paga pelos contribuintes. A diferença é que aqui a justiça é mais rápida e eficaz, e alguns dos deputados foram presos, multados e convidados a sair do partido. 
Embora seja verdade que há muita coisa que em Inglaterra funciona melhor, há outras tantas em que Portugal está a anos luz deste país. E não falo do sistema bancário apenas, mas, por exemplo, da formação das enfermeiras e das educadoras de infância, e dos serviços dos jardins-escola. 
Outras mentiras que já vi divulgadas, no facebook, tinham a ver com a quantidade de feriados de cada país. A lista dizia que o Reino Unido tem mais feriados que Portugal. Não tem, tem muito menos e muito poucos. Por exemplo, o último feriado foi a 31 de Agosto e os próximos dois (e últimos deste ano) serão o dia de Natal e a primeira oitava. Também andou por aí a circular uma mentira sobre um enorme número de católicos que tinham sido queimados vivos na Nigéria... 
É assustador que isto aconteça porque há pessoas que não põem em causa, que acreditam e divulgam, que não pensam duas vezes e depois fazem juízos de valor. É caso para pensar, que tipo de liberdade é esta?

quarta-feira, 19 de setembro de 2012

Custard

E agora que o friozinho começa a fazer mossa na pele, lembrei-me ontem daquele hábito reconfortante de Outono/Inverno: aquecer um pouco de 'custard' e deliciar-me depois do jantar, é um género de creme de leite com um sabor abaunilhado. Sabe tão bem.

Caminhadas matinais

Hoje de manhã bem que já precisava de um casaco mais quentinho, qualquer coisa de Outono/Inverno. Felizmente agora não está tanto frio. Mas amanhã não saio de casa com o casaquinho de Primavera, tenho dito!

terça-feira, 18 de setembro de 2012

Brigadeirão

Experimentei fazer a receita de brigadeirão de forno este fim-de-semana e foi um sucesso. Os amigos adoraram e será mais uma receita a acrescentar ao cardápio pessoal :)!

segunda-feira, 17 de setembro de 2012

Um lápis apenas

Tendo recentemente acabado de ler este livro sobre a vida de Madre Teresa, gostaria de destacar algumas das suas ideias e acções.
Um dos legados do trabalho que desenvolveu foi o facto de deixar de haver pessoas a morrer nas ruas de Calcutta, sem qualquer assistência. Madre Teresa aprendeu a mendigar, para conseguir o que precisava inicialmente, e tinha um amor incondicional a Deus. Aceitou viver na pobreza porque só assim poderia entender a pobreza dos mais pobres.
Lembrou que a pobreza do ocidente é espiritual e emocional, e muito mais difícil de sarar do que a de origem material. 
Madre Teresa chamava a atenção para a grandeza dos pobres, para a sua generosidade, e por dividirem o pouco que têm com aqueles que ainda têm menos, dando vários exemplos. 
Não frequentou nenhuma universidade nem nunca leu o que foi escrito sobre ela. Assinalava em cada doente o sofrimento de Deus, e prometeu servir os mais pobres dos pobres. Teve uma acção enorme junto dos leprosos, ajudou a combater o isolamento a que estavam votados e a mudar a imagem que a doença tinha.
Considerava-se apenas um lápis nas mãos de Deus.

sábado, 15 de setembro de 2012

O lado positivo das fotos da Kate

Deixem lá em paz as micro-maminhas da Kate Middleton. Ao menos isto serviu para desfazer dúvidas, e ver que não há gravidez. Sim, porque se as fotos são da semana passada, as 'boobs' estão muito pouco volumosas para uma futura mamã :). Penso eu!

Adoro

Penelope Cruz

quinta-feira, 13 de setembro de 2012

A luta e a paz

Todos os dias faço uma caminhada de manhã e à tarde, de e para o trabalho, que leva cerca de 20 a 25 minutos. A ligação de metro mais próxima do trabalho não é assim tão próxima e, embora tenha outras alternativas, não me importo de fazer destas caminhadas o meu exercício diário.
Todos os dias, enquanto caminho, atravesso um grande cemitério para cortar alguns minutos ao percurso. Nos dias complicados - que até têm sido frequentes - olho para o cemitério e isso dá-me perspectiva. Sim, há um lugar onde não existem problemas, onde reina a paz, e onde não se tem de lutar. É ali!

quarta-feira, 12 de setembro de 2012

'Chá das 5'


Com a chegada do Outono, nada é mais reconfortante do que tomar um 'Afternoon tea' em boa companhia. E como já tenho saudades, vou reservar uma mesa, para dois, para breve.

Terapeuta/Madeira

Para quem vive na Madeira e precise dos serviços de um profissional nas áreas de reflexologia, massagens de relaxamento, terapeutica/desportiva e reflexologia infantil deixo aqui os contactos do terapeuta Ferdinando Abreu: 

telemóvel: 965645190
Email: fabreumm@gmail.com

O Ferdinando é um profissional certificado, e presta serviços em empresas, eventos desportivos/sociais e ao domicílio, levando todo o material necessário, e a bons preços!

segunda-feira, 10 de setembro de 2012

Priceless

'Ma, Ma', - suddendly there was a shout at the door downstairs. A Sister came to tell Mother Teresa that it was a beggar, insisting that she came down. He said he must speak only to Mother Teresa. She went down. I followed her. The beggar had not come for food or alms. Instead he had come to make her a gift of his day's earnings. There were a few coins in a metal bowl, perhaps a rupee or two at most. For a moment, Mother Teresa seemed undecided. If she took it, he would go without food that night. If she refused, she would have hurt his feelings. She decided to accept. He kissed her hand with joy. When we returned to the bench, she looked at me and said, 'He gave me everything he had. He probably won't eat tonight. I value this gift much more than I value the Nobel Prize and all the other awards that I have received.'...

Mother Teresa, Navin Chawla

Bem servir faz sorrir


Acho que, regra geral, os portugueses podem estar orgulhosos dos serviços que prestamos nos cafés, restaurantes e afins. Somos serviçais, gostamos de agradar e tentamos dar ao cliente exactamente o que é pedido. Pode parecer surreal, mas pedir uma simples sandes com queijo é uma missão difícil em vários dos sítios por onde já andei. Em Inglaterra as sandes estão, por norma, já feitas. Colocam mais isto e aquilo lá dentro, e é quase impensável comer uma sandes com queijo apenas. Pedir que façam não é uma tarefa fácil, e quase sempre recusada. É o que está lá e mais nada. Não quer manteiga? Mas toda a gente come com manteiga... Frustrante. O mesmo se passou comigo em Barcelona,  em vários cafés/restaurantes é o que está feito e mais nada, aqui não se fazem sandes de raiz e ao gosto do cliente.
As minhas experiências menos boas, em Londres, também já tiveram por palco uma boutique de pão chique francesa. Paga-se pelo pequeno-almoço o preço equivalente a um almoço, e é o que está feito e pronto a sair. Quem não quer que vá dar uma volta... Do serviço em Paris nem vou escrever muito. Basicamente a atitude é mais ou menos esta: estou a fazer o favor de trabalhar para te servir, portanto...
O que nos salva, por aqui, são os cafés e padarias tugas (que não visito com muita frequência porque não tenho nada próximo de casa). Também tenho ficado agradavelmente surpreeendida com o café ao pé do meu trabalho. É numa zona suburbana, o serviço é rápido e atencioso e fazem sempre exactamente o que peço. Tiram os pimentos, não colocam os molhos, muita alface e tomate e pouco frango na salada, as torradas vêm sem manteiga, maravilha. Não é que vá lá muitas vezes mas sei que é uma boa opção. É um serviço romeno com sabor a Portugal!

sexta-feira, 7 de setembro de 2012

Adriano Moreira

O professor Adriano Moreira fez ontem 90 anos. Estadista, politólogo, internacionalista, brilhante intelectual e ISCSPiano... Um grande Português. Parabéns professor!

quinta-feira, 6 de setembro de 2012

“The greatest disease in the West today is not TB or leprosy; it is being unwanted, unloved, and uncared for. We can cure physical diseases with medicine, but the only cure for loneliness, despair, and hopelessness is love. There are many in the world who are dying for a piece of bread but there are many more dying for a little love. The poverty in the West is a different kind of poverty -- it is not only a poverty of loneliness but also of spirituality. There's a hunger for love, as there is a hunger for God.”

Mother Teresa 

Shoes


Really? So, what are they made for then?...

Espero que:

quando a onda de boas notícias vier, que seja tão alta, positiva e duradoura quanto está a ser esta fase de ondas contrárias. É o mínimo que posso pedir ao universo :)!

quarta-feira, 5 de setembro de 2012

segunda-feira, 3 de setembro de 2012

Um pedido com gentileza

Sem querer ser chatinha, enjoada, mal agradecida ou 'mete nojo' agradeço que não me ofereçam mais cremes de mãos, please. Tenho bisnagas de todas as cores e feitios, e stock que dá para os próximos 10 anos. Obrigada! :)

domingo, 2 de setembro de 2012

English Rose ... 3*

Catherine Zeta-Jones

*Ela na verdade é de Gales!

Naughty Alice


A Vivienne Westwood é uma figura que às vezes me irrita com as suas tiradas lunáticas, sobretudo quando tenta dar conselhos ao comum mortal mas sob a perspectiva da sua conta bancária. Mas em termos criativos é muito original e simplesmente adoro esta campanha!